quarta-feira, 13 de fevereiro de 2008

PARA REFLEXÃO: O MEDO DA INTELIGÊNCIA

O Medo da Inteligência
Vivemos em um país que valoriza mais a mentira que a verdade, mais o Corrupto, que o honesto, mais o estúpido, que o inteligente.
Para reflexão

Vivemos em um país que valoriza mais a mentira que a verdade, mais o Corrupto, que o honesto, mais o estúpido, que o inteligente.
Quando eu era acadêmico do curso de Educação Física na UFAC, trabalhei em um Projeto através de uma Bolsa. Trabalhava-mos três dias por semana, um desses dias era o domingo. Num domingo, tive que faltar, pois havia dormido tarde no sábado à noite e não consegui acordar cedo no dia seguinte. Quando o meu coordenador me chamou e perguntou: porque faltou domingo? Falei a verdade e perdi a Bolsa de 100,00 Reais, enquanto outro colega, que faltou pelo mesmo motivo, disse que estava doente. Continuou com a bolsa. Pensei, a mentira vale mais que a verdade? Isto não está errado?
Mas o nosso país, parece que só procura fazer as coisas erradas. O sistema de saúde investe mais na doença que na saúde. Compra um monte de Remédio, podendo promover a saúdetrabalhando a Educação para a Saúde, na prevenção. Desde criança eu ouço falar que é melhor prevenir que remediar. Será que esses secretários ignorantes não sabem disso?
Quando Winston Churchill, (primeiro Ministro britânico) ainda jovem, acabou de pronunciar seu discurso de estréia na Câmara dos Comuns, foi perguntar a um velho parlamentar, amigo de seu pai, o que tinha achado do seu primeiro desempenho naquela assembléia de vedetes políticas.
O velho pôs a mão no ombro de Churchill e disse, em tom paternal:
“Meu jovem você cometeu um grande erro. Foi muito brilhante neste seu primeiro discurso na Casa. Isso é imperdoável. Devia ter começado um pouco mais na sombra. Devia ter gaguejado um pouco. Com a inteligência que demonstrou hoje deve ter conquistado no mínimo uns trinta inimigos. O talento assusta.”
E ali estava uma das melhores lições de abismo que um velho sábio pode dar ao pupilo que se inicia numa carreira difícil.
A maior parte das pessoas encasteladas em posições políticas é medíocre e tem um indisfarçável medo da Inteligência.
Isso na Inglaterra. Imaginem aqui no Quinarí.
Não é demais lembrar a famosa trova de Ruy Barbosa:
Há tantos burros mandando em homens de inteligência Que às vezes fico pensando Que a burrice é uma Ciência.
É intrigante ver vários incompetentes e as vezes alguns competentes, alienados ao poder, parece que quando chega alguém com boas idéias, dizem logo, vamos enterrar esse idiota, antes que ele tome meu lugar.
Na Educação, na Saúde em vários setores dos governos, existem pessoas inteligentes, mas são ofuscadas pelos medíocres.
O que você faria se soubesse que alguém faz o que você faz melhor que você? Tentaria elimina-lo ou se uniria a ele para ampliar seus conhecimentos? Infelizmente têm pessoas com o corpo do Tarzan, a voz de Jane e o cérebro da Chita. (como diz meu amigo Marcelo).
Temos de admitir que, de um modo geral, os medíocres são mais obstinados na conquista de posições. Sabem ocupar os espaços vazios deixados pelos talentosos displicentes que não revelam o apetite do poder. Mas é preciso considerar que esses medíocres ladinos oportunistas e ambiciosos, têm o hábito de salvaguardar suas posições conquistadas com verdadeiras muralhas de granito para que os talentosos não consigam passar.
Em todas as áreas encontramos dessas fortalezas estabelecidas, as panelinhas do arrivismo (vencer na vida de qualquer jeito), inexpugnáveis às legiões dos lúcidos.
Dentro desse raciocínio, que poderia ser uma extensão do Elogio da Loucura de Erasmo de Roterdan, (Filosofo Holandês) somos forçados a admitir que uma pessoa precise fingir de burra se quiser vencer na vida.
É pecado fazer sombra a alguém até numa conversa social. Assim como um grupo de senhoras burguesas bem casadas, boicota automaticamente a entrada de uma jovem mulher bonita no seu círculo de convivência, por medo de perder seus maridos, também os encastelados medíocres se fecham como ostras à simples aparição de um talentoso jovem que os possa ameaçar.
Eles conhecem bem suas limitações, sabem como lhes custa desempenhar tarefas que os mais dotados realizam com uma perna nas costas, enfim, na medida em que admiram a facilidade com que os mais lúcidos resolvem problemas, os medíocres os repudiam para se defender.
É um paradoxo angustiante.
Infelizmente temos de viver segundo essas regras absurdas que transformam a inteligência numa espécie de desvantagem perante a vida, a mentira vira sinônimo de competência (uma inversão de valores Éticos e Morais).
Como é sábio o velho conselho de Nelson Rodrigues. "Finge-te de idiota e terás o céu e a terra."
“O problema é que os inteligentes gostam de brilhar, que Deus os proteja”.

Francisco Castro Nunes
Profissional de Educação Física
Especialista em Exercício Físico na Promoção da Saúde e Qualidade de Vida.
CREF. Nº. 000111 – G/AC
E-mail: f.castronunes@terra.com.br
Fcastronunes@uol.com.br
TEL.: 68 3232 2805 81133850.
Fonte: JORNAL DA BAHIA - Sábado, 23/09/79.
Vanderlei Maccari. Profissional de Educação Física. SP.
Erasmo de Rotterdam. Elogio da Loucura

Senador Guiomard, Acre 14 de setembro de 2005.

Um comentário:

cassia disse...

querido amigo, é sensacional a demostração do seu trabalho, vc esta de parabens,quem sabe um dia vc possa ser meu personal trainer sabia q é meu sonho de consumo? preciso acertar na mega, rs rs rs bjs